» » Ser escoteiro pode trazer muitos benefícios para o desenvolvimento das crianças
meninos-brincando-natureza-61556

Ser escoteiro pode trazer muitos benefícios para o desenvolvimento das crianças


8 de novembro de 2016


Aulas de inglês, de informática, reforço quando as notas ficam baixas… Todo pai e mãe fazem um esforço danado para que seus filhos tenham a melhor formação possível. Mas nem só de estudos se faz um adulto bem estruturado e preparado para a vida. Que tal também oferecer para seus filhos uma atividade diferente das que eles têm na escola e inscrevê-los num grupo escoteiro?

Escoteiros brincam, fazem amigos e aprendem conceitos importantes de respeito ao próximo e de trabalho em equipe. O escotismo existe em diversos países e foi criado na Inglaterra há mais de 100 anos. E, ao contrário do que muita gente pensa, os participantes desse movimento fazem muito mais do que acampar e vender biscoitos.

“Nosso objetivo é entregar alguém melhor para a sociedade, estimulando a cultura de paz”, explica o escoteiro André Spina, diretor de comunicação dos Escoteiros do Brasil. Ficou interessada? Saiba mais ao lado!

Diversão e família unida

Entre acampamentos e outras aventuras ao ar livre, a criança aprende brincando. Aliás, o contato com a natureza é muito estimulado. “Para o jovem é uma grande brincadeira, ele faz amizades e tem novas experiências. Mas, durante esse processo, nós trabalhamos a construção do caráter dele. É um complemento ao ambiente escolar e familiar”, explica André. E você também pode fazer parte. “Muitos pais se envolvem nas atividades e ajudam na administração e organização dos grupos. Também é uma maneira de unir a família.”

Como se tornar escoteiro?

Para encontrar o grupo escoteiro mais próximo de você, acesse o site escoteiros.org.br e informe seu estado, cidade e bairro. As atividades costumam acontecer aos sábados e os participantes precisam ter entre 6 anos e meio e 21 anos. O custo varia de grupo para grupo, mas em geral são cobradas a inscrição e uma mensalidade, que costuma ficar em torno de R$ 50 (os grupos não têm fins lucrativos; o dinheiro é usado para ajudar na manutenção da sede). Vale lembrar que muitos locais oferecem bolsa para aqueles que não têm condições de pagar a mensalidade.

Novos desafios a cada idade

Lobinho: de 6 anos e meio aos 10 anos. Nessa fase, tudo é transmitido por meio de brincadeiras. A criança começa a aprender sobre trabalho em equipe e a descobrir quais são seus interesses no universo escoteiro.

Escoteiro: dos 10 aos 15 anos. Com mais independência, é a hora de acampar. São as crianças que montam as barracas e cuidam da alimentação, mas os adultos do grupo, chamados chefes, sempre acompanham.

Sênior: dos 15 aos 17 anos. Nessa idade, o jovem é movido a desafios, por isso as atividades são mais complexas e os acampamentos, mais “radicais” – tem até uma modalidade em que as barracas ficam flutuando!

Pioneiro: dos 18 aos 21 anos. O escoteiro exercita cada vez mais seu papel de cidadão e participa de ações como a que aconteceu ano passado no Brasil: mil participantes de 15 países visitaram instituições carentes para, entre outros gestos, plantar hortas e consertar brinquedos.

Os 10 artigos da lei escoteira

Você vai querer que seu filho siga todas elas!
1. O escoteiro tem uma só palavra.
2. O escoteiro é leal.
3. O escoteiro está sempre alerta para ajudar o próximo e pratica diariamente uma boa ação.
4. O escoteiro é amigo de todos e irmão dos demais escoteiros.
5. O escoteiro é cortês.
6. O escoteiro é bom para os animais e as plantas.
7. O escoteiro é obediente e disciplinado.
8. O escoteiro é alegre e sorri nas dificuldades.
9. O escoteiro é econômico e respeita o bem alheio.
10. O escoteiro é limpo de corpo e alma.

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/

  • Compartilhe:

Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens